FANDOM


Everissimo

Pessoal, boa a resenha, mas tenho apenas uma tarefa para vocês. A ideia do Lucas de criar um link para a página que ele criou sobre romance foi muito boa, mas o que eu pedi foi para criar links entre as resenhas também. Portanto, façam isso, crie links para as resenhas dos colegas de vocês ou para páginas da wiki relacionadas ao livro. Lembrem-se de que o link deve estar no decorrer do texto e não no final isolado. Letícia, você teve pouquíssima participação nesta resenha!

Um certo capitão Rodrigo é obra do autor gaúcho Érico Lopes Veríssimo (17/12/1905 - 27/11/1975), de Cruz Alta, filho de Sebastião Veríssimo e Abegahy Lopes Veríssimo. Essa obra é uma parte do livro "O Tempo e o Vento" escrito na segunda fase da carreira do escritor. "O Tempo e o Vento" possui um cunho histórico-regionalista que destaca um panorama da história do Rio Grande do Sul. A reconstituição das origens e os episódios da formação social desde os séculos XVIII / XIX até a Segunda metade do século XX. O autor falece no dia 28 de novembro de 1975. Saiba mais sobre os Erico Veríssimo em "O Pensador[1]" e "Releituras"[2]

Um certo capitão Rodrigo é um romance brasileiro composto de 28 capítulos sequenciais, em ordem cronológica dos fatos. O livro contém apenas uma imagem que é a do autor na contra-capa. Contém três anexos: sobre um capitão Rodrigo, cronologia e a biografia de Érico Veríssimo. Foi escrito em 3ª pessoa, sendo um narrador onisciente que descreve todos os pensamentos de Rodrigo e dos outros personagens.

Os principais fatos acontecem na cidade de Santa Fé no Rio Grande do Sul, uma típica e pacata cidade interiorana. Rodrigo Cambará chegou à cidade em 1828. Valente e generoso, seu modo de ser primeiramente desperta desconfiança e curiosidade das pessoas e, posteriormente, amizades e inimizades. Logo que chegou na cidade, Rodrigo conheceu Juvenal, que se tornou seu amigo até a morte.

O capitão é um homem mulherengo e desordeiro, que gosta de jogo, de bebidas, de brigas e de guerras. Em Santa Fé se apaixona pela jovem Bibiana Terra, irmã de Juvenal, que também é desejada por Bento Amaral, filho do poderoso "dono" da cidade Cel. Ricardo Amaral. Rodrigo conta com a ajuda do Padre Lara, que faz de tudo para o bem da cidade e de todos que a habitam, para conquistar a filha de Pedro Terra. Muda radicalmente suas atitudes para tentar se tornar um bom homem aos olhos de todos que desconfiam dele e conseguir seus objetivos. Rodrigo tornou-se um pai e um marido ausente, justamente quando Bibiana mais precisou de sua ajuda, no momento em que sua filha estava doente.

O autor quis humanizar o personagem, que é um homem que não aceita ordens, sendo caracterizado como um típico gaúcho, mostrando que ele também pode errar, assim como qualquer pessoa e que também possui qualidades, como por exemplo, não aceitar ficar "inativo" ao ver alguém sendo injustiçado e, principalmente, ir em busca de seus ideais. Na minha opinião ele também é tido como um ser superior em relação aos santa-fezenses.