FANDOM



Entrei no escola e estava a caminho do Coltec. Era um dia comum e chato, estava até desanimada. Cheguei atrasada na aula de Geografia, olhei em minha volta e lá estava ela, a menina morena, do cabelo chanel preto, Mariana Teodoro. Me sentei mais ou menos próximo dela, peguei as folhas do dever de Geografia que era em dupla, mas acabou sendo mais ou menos individual. Como sempre, pegou as folhas com aquela cara de menina estressada e que põe medo em todas que olham para ela, avaliou-as. A aula passava devagar, já tinha se passado 30 minutos do começo. Quando o professor realmente começa a aula, diz que havia esquecido o giz. Então foi buscar o giz. Estava demorando muito. Após cinco minutos, Mariana virou para e mim e fala:- Amiga, vem comprar café comigo?- Não.- Vem, Gabi!- Não.- Anda logo!- Ah, tá bom. É muito chata mesmo. Mas amiga é amiga, apesar que a minha preguiça de descer e subir aquelas escadas era incomparável, eu mão queria mesmo.Deixei minhas coisas em cima da carteira e fui com ela. Desce,ps as escadas e fomos para a cantina. Estava vazio o 1° andar, onde nós estávamos, e calmo. Fui para o caixa junto com ela, esperei ela comprar, fomos para o balcão e ela pediu um pão de queijo e um café. Colocou açúcar e pegou uma mini colher. Peguei o café para ela e comecei a mexer, pois eu queria subir par a sala logo, vai que o professor já tenha chegado na sala, ele não autorizou ninguém sair. Estávamos no começo dos degraus da escada, conversávamos, quando eu, como sempre, tinha que ser eu, falei uma palavra errada, e a Maariana riu. Riu tanto que quando eu olhei para ela, já estava indo de cara no degrau da escada, foi aí que soltei um grito, tão alto e fino, que se exapandiu pela escola, me assustei mais que a própria Mariana. Achei engraçado, porque ela fez como uma bêbada. Caiu, mas nem o papel do pão de queijo encostou no chão. Peguntei a ela, então:- Está tudo bem amiga?- Está.- Machucou não?- Não.Não parávamos de rir, e ela ainda me disse que foi praga minha. É que, na verdade, não foi a primeira vez que ela cai por minha causa. Ah, por pura falta de sorte, chegamos um pouco atrasada na aula, o professor já se encontrava na sala. Então entramos de fininho e sentamos como se nada tivesse acontecido, precisava esperar a aula acabar para contar o ocorrido. Eu já lhe disse que o feitiço volta contra o feiticeiro, enquanto ela me zuar e implicar comigo, voltará contra ela. Agora, eu só não sei como.